O que são biojoias e ecojoias, essas semi joias delicadas.

Colar de turquesa com madeira - site Ceci Joias da Amazônia biojoias e semijoias

Antes de falarmos em biojoias, precisamos refletir um pouco sobre a indústria da moda, que sempre foi fonte de inspiração para milhares de pessoas em todo o mundo. A cada estação, suas roupas, acessórios e produtos tentam criar um senso de identidade, beleza e autoestima que poucas outras áreas conseguem. No entanto, tudo isso pode ter um custo alto para o meio ambiente. 

Mas será que para estarmos lindas, com a auto-estima sempre em dia, precisamos prejudicar o planeta? Com essa questão em mente surgiu um novo tipo de moda: a moda sustentável. 

A ideia é trabalhar com materiais reutilizáveis ou naturais para produzir beleza de maneira amigável ao meio ambiente. O conceito de moda sustentável tem como objetivo produzir roupas e acessórios que levem em consideração a preservação do planeta, o bem-estar dos consumidores e da comunidade onde cada peça é produzida ou onde seus insumos são coletados. 

Ou seja: para se ter um lindo colar não é preciso destruir a natureza. Existem lindas peças que são sustentáveis e deixam seu visual completamente especial! Entenda agora o que são as ecojoias e biojoias e por que elas são as novas tendências no mercado de joias. 

O que são ecojoias?

Já pensou no impacto que a fabricação de seu par de brincos ou pulseira tem na natureza e na sociedade que vive dela? Os fabricantes de ecojoias já, e começaram a desenvolver um novo conceito que permite criar beleza sem que ocorra a destruição ambiental.

Elas são feitas de forma sustentável, provocando impacto mínimo no ambiente à sua volta. Isso vale para a extração da matéria-prima, confecção da peça, venda e relação com os povos locais. Ecojoias são acessórios diferentes, que respeitam a natureza e as comunidades indígenas, bem como outros povos da floresta, para serem feitas. Por isso, valorize quando receber uma eco joia de presente e saiba que é uma lembrança muito especial para dar para quem você ama. 

O que são biojoias?

Já as biojoias possuem um conceito um pouco diferente das ecojoias, mas também se encaixam na sustentabilidade. Ao contrário das joias tradicionais, que focam apenas em elementos industrializados, as biojoias tiram sua beleza também de elementos naturais. Elas usam fibras, sementes, cascas, madeira, pedras e outros insumos naturais, numa combinação harmônica, como em um colar de madeira e calcita amarela, por exemplo. 

O cuidado está presente em cada etapa do processo produtivo, inclusive na aquisição de matéria-prima. A ideia é evitar muitas transformações industriais nos materiais utilizados. Por isso as biojoias são criadas por um designer de joias que especifica as matérias-primas que devem ser usadas. Elas são feitas por completo ou em parte através de processos artesanais que evitam a criação de uma grande quantidade de refugo e lixo. Por ser um processo artesanal, as biojoias são peças únicas. 

A Ceci Joias trabalha com esses dois tipos de semijoias artesanais, com a intenção de estimular a preservação do meio ambiente e de comunidades locais. Nossas peças exclusivas são produzidas com matérias-primas amazônicas, que são, muitas vezes, coletadas da floresta em atividades tradicionais de extrativismo e coleta de sementes e outros materiais. Dessa forma, combinamos beleza e sustentabilidade.

Materiais usados

As biojoias misturam alguns tipos de materiais. Os minérios e metais preciosos, como ouro e prata, continuam sendo usados, assim como as gemas, incluindo rubi, ônix, turquesa e esmeraldas. No entanto, esses materiais mais tradicionais das jóias nem sempre são destaque nas peças. 

O que realmente chama a atenção em uma biojoia são os materiais orgânicos. Após passar por tratamentos artesanais para aumentar sua durabilidade eles transformam-se numa linda semijoia.

Nas mãos de um artesão qualquer matéria-prima da mata amazônica pode transformar-se em um acessório cheio de personalidade. Desde madeira, sementes, fibras, capim, penas e até escamas podem ser usadas na confecção das mais lindas peças, como brincos de artesanato, colar artesanal ou pulseira artesanal. 

Quais pedras são mais utilizadas em biojoias?

As pedras com pouca lapidação geralmente são mais utilizadas para fazer bio joias, como pulseira de pedras naturais ou colar de pedras naturais. As preferidas dos designers de joias são as pedras semipreciosas, como a ágata, o citrino, o jaspe, a cornalina, o cristal, o quartzo (principalmente o quartzo rosa, o quarto verde e o quartzo branco), a turquesa, a pedra do sol e a pedra estrela. Todavia, pedras preciosas, como a ametista, a esmeralda, o rubi e a safira, também são muito utilizadas, tanto como cascalhos, quanto em suas versões lapidadas e sextavadas.

Pedras mais raras de serem encontradas em joias, como o peridoto, a howlita branca e a angelita, também entram muito nas composições, dando um toque de exclusividade à joia e a quem a usa. Além disso, pedras não preciosas, como a hematita, também ajudam a compor as peças, com sua força característica e seu uso frequentemente associado à proteção contra energias negativas. 

Quais os tipos de biojoias mais usados?

As bio joias tem sido muito misturadas a peças em ouro e prata, criando-se desde uma pulseira feminina de ouro puro a uma pulseira banhada a ouro ou colar de ouro feminino. Brincos de turquesa, pulseira de prata, pulseira de turquesa, pulseira de pérola cultivada em água doce ou outros tipos de pulseira artesanal são ainda outros modelos de semi joias finas que podem ser feitas e que ornam bem com qualquer look. O uso de colar artesanal de pérola combinado a brinco de pérola é também uma tendência para os amantes desse tipo de joia. 

Enfim, são muitas as possibilidades de criação quando se fala em biojoias. O importante é o toque de personalidade que elas trazem para quem as usa, mostrando não só a ligação que essa pessoa tem com a natureza, mas também sua preocupação com a sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Colar de biojoias com madeira e peças folheadas em ouro - site Ceci Joias da Amazônia

Por que a moda está apaixonada pelas biojoias?

As biojoias estão dominando as passarelas em todo o mundo, principalmente, no Brasil. As peças fazem parte do movimento de moda sustentável ou ecofashion. O termo começou a ganhar mais importância conforme as grandes e as pequenas marcas admitiram a sua contribuição para o acúmulo de toneladas de lixo e a poluição desenfreada. 

Isso levou à criação de novos materiais que reutilizam plástico e até outros tecidos, como é o caso das ecobags. No entanto, algumas marcas foram além e tentaram utilizar materiais melhores para o meio ambiente desde a concepção das peças. Daí, inventaram as biojoias. 

A ideia de joias ou semijoias finas feitas com materiais naturais conquistou vários públicos. Hoje em dia, a variedade de opções, formatos e estilos é imensa, e qualquer um pode encontrar uma dessas peças que se encaixe no seu perfil. 

1. Sustentabilidade em evidência

O século XXI enfrenta um aumento significativo de produção no mercado da moda, que fica mais dinâmica a cada dia que passa. Como resultado, a produção de lixo e os impactos ambientais também crescem. Os tecidos e as matérias-primas para acessórios não só geram desperdício, mas também usam produtos químicos potencialmente tóxicos em sua composição. 

O consumo rápido da moda desencadeou uma produção massificada e com diversos problemas. Em consequência disso, surgiu um movimento de moda sustentável que tenta diminuir os efeitos nocivos ao meio ambiente e consumir com mais consciência. 

A moda sustentável está ganhando força, inclusive, integrando o portfólio de grandes fornecedoras mundiais. As pessoas, em especial as gerações mais novas, também têm mudado os seus hábitos de consumo, pensando naquilo que é melhor para o planeta. Desse modo, trabalhar com produtos sustentáveis e artesanais fica mais viável e lucrativo. 

2. Mais cores e texturas para explorar

Aderir à moda em massa teve uma séria consequência: abrir mão de designs variados ou exclusivos. É algo que resolvemos de forma fácil com o uso de biojoias. Graças aos materiais diferentes que compõem as peças, é possível explorar designs mais atrativos e únicos. 

A exclusividade dos adereços é um de seus grandes chamarizes. Falaremos mais à frente sobre cada um dos tipos de matéria-prima empregados na confecção desses acessórios. O que importa saber é que elas criam a oportunidade de aproveitar novas cores e estilos. 

Quem adora visuais alternativos também consegue trazer a natureza exuberante da Amazônia brasileira aos acessórios por meio de pequenos detalhes. 

3. Materiais em alta no mercado da moda

A busca por matéria-prima sustentável na moda não para. Naturalmente, as peças de produção artesanal usam muitos materiais renováveis e com menos agressão ao meio ambiente. 

Os materiais que esses acessórios adotam em sua confecção estão em alta. De fibras a madeiras e até coco, tudo que vem da mata está atraindo mais a atenção do público e das marcas consagradas. Acessório com biojoias na cor verde de amazonita - site Ceci Joias da Amazônia

Matérias-primas mais utilizadas em biojoias

Precisamos admitir que os recursos naturais estão entre as melhores características das biojoias. Essas peças usam uma mistura de materiais da Amazônia brasileira, metais preciosos e pedras naturais, que ajuda a deixar o resultado mais delicado e com uma beleza ímpar. 

É a junção de cores, formatos e texturas que transforma os acessórios em verdadeiras obras de arte. Combinando esses materiais com a produção artesanal, podemos garantir que cada peça seja única. Confira abaixo o que tem sido aplicado nos acessórios sustentáveis e quais são as suas principais vantagens. 

1. Colar e pulseira de pedras naturais

Já percebeu como colar e pulseira de pedras naturais e outros acessórios desses materiais estão na moda? O solo brasileiro é bastante rico em gemas de diversos tipos, incluindo ametista, variedades de quartzo, pedra da lua, entre outras. 

Essas gemas são extraídas há tempos por comunidades tradicionais em todo o País e utilizadas em alternância com outras pedras preciosas. Isso ameniza o impacto ambiental da extração, que pode ocorrer exclusivamente em território nacional, e ainda garante o estilo de vida de comunidades que trabalham com pedras. 

Além disso, os mais místicos acreditam que essas pedras possuem capacidades de cura e energia relacionadas à saúde, à paz e à proteção. As gemas também têm a ver com os signos e os poderes espirituais que as tornam ainda mais cobiçadas.  

2. Colar de madeira

colar de madeira é uma das tendências mais recentes no mundo das semijoias e outros acessórios sustentáveis. Primeiramente, a madeira é um recurso renovável que conseguimos obter sem grande impacto na natureza. 

O que poucos imaginam é que a madeira seja um material tão versátil para as biojoias. Ela pode ser usada para fazer contas, pingentes e combina perfeitamente com metais e pedras naturais. O material completamente natural também proporciona variadas tonalidades. 

A madeira é naturalmente desigual em sua superfície. Isso significa que, quando algum acessório é fabricado com ela, será único. Duas peças usando a matéria-prima nunca terão o mesmo design e tom.

3. Brincos e acessórios de fibras

As fibras que complementam a confecção de semijoias e acessórios são retiradas de plantas, árvores e folhas, visando à criação sustentável. Um dos grandes benefícios é o mínimo impacto ambiental de sua extração, além da preparação para a produção artesanal. 

Essas fibras são usadas há milênios por comunidades tradicionais da Amazônia, conferindo toda a brasilidade aos acessórios. Depois de um processo rápido de modernização da sociedade, a comercialização de semijoias ajuda a manter a tradição viva e ainda aproveita esses materiais impressionantes. 

As fibras naturais podem ser tingidas de acordo com o objetivo e a combinação da semijoia. Elas também recebem tratamentos especiais, visando agregar maior durabilidade e, consequentemente, preservar a beleza única. 

4. Biojoias folheadas a ouro e prata 

Existem muitas biojoias que oferecem um visual com partes folheadas a ouro ou prata. Há um bom motivo: além de lindo, o material é hipoalergênico e maximiza a durabilidade. É graças a esse banho que conseguimos impedir a oxidação da peça depois de pouco tempo de uso. 

Certamente, ter um acessório folheado exige alguns cuidados. Ele não deve ser exposto à água, por exemplo. O mais recomendado é evitar o uso durante os treinos ou na praia. A limpeza é simples e deve acontecer somente com uma flanela seca ou sabão neutro, em casos de sujeira mais pesada. 

De qualquer forma, o ouro e a prata fazem parte da tendência de acessórios sustentáveis e deixam tudo mais belo e sublime. 

5. Bambu, uma fibra leve e resistente

O bambu já integra o mundo dos acessórios e da arte há tempos. As civilizações orientais descobriram há milênios que esse tipo específico de planta representa facilidade de manipulação, além de ser uma fibra leve e bastante resistente. Isso significa que o recurso foi usado em construções, enfeites para a casa, utensílios domésticos e, claro, acessórios. 

Por possuir tons neutros, o bambu combina perfeitamente com pedras naturais, ouro e prata. Quem está procurando por uma peça com um toque de natureza pode confiar nele. Por aqui, ele faz parte de colares, brincos, pulseiras e todos os tipos de combinações. 

Peças ecológicas e biojoias são a mesma coisa?

As ecojoias e as biojoias são intituladas amigas da natureza, ou seja, fazem parte da moda sustentável que objetiva minimizar o impacto ambiental. Apesar de ambas serem oriundas da fabricação artesanal, elas possuem aspectos de produção distintos. 

A ecojoia costuma ser produzida com materiais de descarte ou reciclagem. É comum encontrar peças criadas com o emprego de garrafas pet ou plástico de reuso, dentre outros recursos recicláveis.

Já a biojoia representa o universo das semijoias que usam matérias-primas naturais, para conseguir um resultado maravilhoso a partir da produção artesanal. Nesse caso, os acessórios podem ser confeccionados com pedras preciosas da extração legal e fibras vegetais, entre outros insumos orgânicos.

Além de menos nocivas ao planeta, as verdadeiras obras de arte feitas à mão ganham características exclusivas de design. Mesmo que um artesão tente criar dois colares iguais, existirão pequenas diferenças que deixam tudo mais interessante. 

Vale lembrar que os valores atribuídos a esses acessórios manufaturados podem ser praticados de acordo com as suas especificidades. A ecojoia, por exemplo, pode aumentar o seu preço final, já que alguns processos de tratamento de reciclagem requerem mais investimento. Por sua vez, uma biojoia proveniente da Amazônia, normalmente, tem o custo mais elevado em razão da logística exigida para o seu escoamento, levando-se em conta a distância geográfica. 

Uso de biojoias é uma tendência passageira?

Certamente não, as biojoias vieram para ficar. As matérias-primas naturais só vêm ganhando mais visibilidade no mercado em decorrência do conceito de sustentabilidade e de manutenção de costumes tradicionais. 

As joias artesanais estão no mercado há anos e devem permanecer por aí. Quem está interessado nessa tendência pode começar a explorar cores, formatos e estilos, para entender quais opções se adequam melhor no seu perfil. Colar de pedras semipreciosas folheado a ouro - site Ceci Joias da Amazônia

Motivos para comprar biojoias brasileiras

Ainda está na dúvida sobre as biojoias feitas com riquezas naturais da Amazônia brasileira? Se levar um pedacinho da nossa natureza exuberante sempre com você não é razão suficiente, apresentamos outros motivos convincentes adiante. Compreenda as vantagens desses acessórios que estão estourando em popularidade. 

1. Ajude o meio ambiente com uma pulseira feminina

A compra de uma simples pulseira feminina é capaz de ajudar a natureza. Os acessórios feitos da maneira tradicional são um grande problema, pois desperdiçam água e outros recursos naturais, acarretando ainda altos volumes de lixo. 

Quem compra uma biojoia faz uma escolha consciente de algo que tem impacto reduzido e usa matérias-primas de fontes éticas. Isto é, não gera desmatamento ou exploração ilegal de mão de obra. 

2. Peças únicas e exóticas, como a pulseira hippie

As biojoias, que também já foram chamadas de pulseira hippie, por exemplo, são exclusivas e cheias de personalidade. Para entender isso, basta comparar duas pedras naturais, elas nunca são idênticas. Existem pequenas variações de cor e formato que mudam completamente o resultado final de uma semijoia. 

O mesmo vale para praticamente qualquer outro material natural, como madeiras, fibras e sementes. Isso corresponde a adquirir um acessório que é único para você. Mesmo que alguém compre outro colar ou pulseira dos mesmos materiais, o resultado não será igual. 

Por serem produzidas por artesãos, as peças também têm mais liberdade de criação com conceitos e designs personalizados. Ou seja, os elementos da natureza são transformados em adereços criativos e inusitados item por item. 

3. Venda de biojoias valoriza a cultura e a tradição local

As biojoias empregam métodos de produção artesanal baseados em culturas e tradições de povos da Amazônia do Brasil. Algo que poderia ser extinto com a modernização da sociedade ganha vida nova e ainda vira uma fonte de renda para toda a comunidade. 

Isso também vale para a extração de matérias-primas naturais, como sementes e madeiras. Esses costumes são parte importante da cultura brasileira, que merecem proteção e cuidados. Por isso, comprar uma peça fabricada artesanalmente pelos povoados da região amazônica reflete na manutenção do ecossistema. 

As comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas agradecem a aquisição de um acessório produzido com tanta atenção e carinho. Essa atitude de compra fortalece o trabalho dos artesãos regionais, resultando em reconhecimento profissional no mercado nacional e internacional, na conservação do meio ambiente e na sobrevivência das famílias nativas. 

4. Adquirir peças de pequenos produtores e marcas que incentivam a ideia sustentável

Muitas das vezes, a extração de matérias-primas naturais e a fabricação de semijoias artesanais estão relacionadas a um grupo ou uma comunidade de pequenos produtores. Temos conhecimento de que as empresas multinacionais possuem capital suficiente para influenciar o mercado por meio de marketing e publicidade. A desleal concorrência na divulgação acaba sufocando os representantes da produção artesanal, que correm até o risco de desaparecer do mapa. 

Comprar esse tipo de peça também coopera para a sobrevivência desses microempreendedores. E quanto mais pessoas trabalharem com esse estilo de produção, melhor será para o mercado da moda. Isso significa mais variedade, peças dotadas de criatividade e sustentabilidade superior no produto final. 

Os artesãos que atuam na confecção das semijoias, dificilmente, possuem recursos para divulgar os seus materiais em massa. O suporte do público é parte do que realmente ajuda a melhorar o desempenho das vendas e fazer propaganda do negócio de produtos feitos à mão. 

Vale destacar que existem muitas marcas brasileiras que estimulam a produção desse tipo de artesanato e promovem o crescimento econômico da região, tanto no fornecimento do setor de pré-acabamento quanto na mão de obra remunerada.

5. Aplicação de pedras naturais e cristais com propriedades místicas em biojoias

Muitas mulheres são fascinadas por temas de espiritualidade e misticismo que têm tudo a ver com as biojoias com pedras naturais. Além de lindas e radiantes nas cores, as pedras também são conhecidas por suas propriedades peculiares. Algumas delas são usadas há milhares de anos por populações antigas, com o intuito de trazer saúde e bem-estar. Outras são sinal de força, poder e amor-próprio. 

Contudo, há algo ainda melhor sobre as pedras e os cristais: retratam um pouco sobre a personalidade de quem os exibe. Seja pela conexão com os signos ou por serem símbolos do amor, da espiritualidade ou da proteção, esses componentes demonstram muito sobre as pessoas. 

Até as cores possuem os seus próprios significados. As opções para escolher esses acessórios usando pedras naturais são muitas. Então, você pode usar e abusar das suas combinações, para se conectar com o seu interior espiritual.Colar de biojoias com cerâmica e hematita - site Ceci Joias da Amazônia

Entenda mais sobre os elementos das biojoias

Já vimos que as biojoias podem ser feitas de diversos materiais, como bambu, fibras de árvores, madeira e pedras naturais.

Mas as possibilidades são diversas, já que é possível usar qualquer tipo de material vegetal em sua  composição. Por isso há artigos feitos com sementes, cascas de frutas e de árvores. E até mesmo conchas e penas podem ser utilizadas.

Nesse processo, é fundamental que o material seja certificado, que toda a sua cadeia produtiva seja comprovada e esteja dentro do que se espera de um produto ecologicamente correto.

Assim, é necessário que a matéria-prima seja oriunda de uma fonte sustentável e que tenha sido retirada de forma a manter a conservação ambiental.

Quando esses elementos começaram a ser usados na fabricação de joias?

Embora a utilização desse tipo de joia esteja ganhando cada vez mais popularidade, inclusive chegando às passarelas e sendo utilizadas por famosas, esse produto com uma ideia mais ecológica está longe de ser uma novidade.

Quando olhamos para a história humana encontramos exemplos dessas joias em várias épocas e sendo apreciadas por diversos povos. O povo Maia, por exemplo, tinha um lugar especial para conchas e penas em sua cultura. Esse tipo de adorno era tão importante que foi muito utilizado para ornamentar imagens de divindades.

Já o povo Celta tinha o hábito de usar sementes e algumas delas tinham significados extraordinários. De acordo com a cultura local, as sementes de prímula geravam poderes mágicos para quem as utilizasse. E as de samambaias eram responsáveis pela invisibilidade.

Ao nos transportarmos para o antigo Egito, vimos que as plumas eram extremamente importantes, pois se tornaram um símbolo da deusa Maat, que representava a justiça e a ordenação no mundo. Esse mesmo material era muito usado por povos indígenas brasileiros como adorno.

Os indígenas também usavam diversas sementes, como a “olho de cabra”, que eles acreditavam ser capaz de espantar o mau olhado. 

Poderíamos dar outros exemplos, mas essa pequena amostra já é suficiente para deixar claro o quanto esse tipo de joia já foi usado ao longo do tempo, seja como forma de embelezamento ou por trazer algum profundo significado para determinada cultura.

Então, o que estamos fazendo hoje é reacender um costume antigo e dar a ele sua devida importância.

O marfim das biojoias da Amazônia

Já mencionamos o quanto a Amazônia brasileira é importante para a produção de biojoias, afinal, muitos dos materiais utilizados são originados na floresta. Mas um em especial é muito lembrado quando falamos desse tipo de produto: a semente de Jarina, conhecida como marfim vegetal. Ela é muito usada na confecção de joias ecológicas e origina uma palmeira que recebe o mesmo nome.

Essa semente foi o foco de alguns estudos, dentre eles o “Jarina: o marfim das biojoias da Amazônia”, que foi desenvolvido por Marcondes Lima da Costa, Suyanne Flávia Santos Rodrigues e Helmut Hohn. 

A semente de Jarina integra uma lista de gemas raras da Região Amazônica e possui muitas características interessantes:

  • Brilho;
  • Mudança de cor;
  • É maleável o suficiente para permitir acabamentos;
  • Tem boa aceitação comercial.

Isso faz com que ela seja muito usada na fabricação de bijuterias e miniesculturas no Equador e em outros locais da América Central.

Mas os estudiosos apontam para a necessidade de proteger a semente contra micro-organismos potencialmente perigosos que podem atacar a espécie.

Preservar o marfim vegetal é fundamental para o povo que habita a região, já que uma cadeia produtiva bem organizada pode transformá-lo em uma ótima fonte de renda, criando empregos e levando mais desenvolvimento para o local.Colar com entremeios folheados a ouro e morototó - site Ceci Joias da Amazônia

Biojoias: conceito de beleza, sem destruição ambiental.

Se você ainda não está convencida do alto valor das biojoias, saiba que elas entregam muito mais do que um produto fabricado sem destruição ambiental.

É claro que esse é um dos pontos mais importantes  e estamos vivendo uma era em que as pessoas se preocupam cada vez mais com essas questões, o que faz com que produtos que ajudem a preservar a natureza e os nossos recursos naturais ganhem mais destaque a cada dia.

Porém, outro ponto marcante dessas joias é que elas são realmente capazes de incrementar o visual de forma extraordinária, trazendo beleza, charme e elegância. Hoje temos brincos, colares, pulseiras, tiaras, gargantilhas e outros itens desenvolvidos com materiais naturais. Isso torna possível escolher entre uma infinidade de cores, modelos e tamanhos.  Assim é mais fácil o processo de encontrar produtos que combinem com você e ajudem a deixar o seu estilo ainda mais marcante.

Além disso, é possível escolher joias mais simples e com um menor custo ou peças mais sofisticadas, que são combinadas com matérias-primas de alto valor, como o ouro.

A valorização das biojoias e ecojoias no mercado

A valorização comercial das biojoias e ecojoias está intimamente ligada a alguns fatores:

  • Singularidade: por usar produtos naturais não há a possibilidade de duas peças serem iguais. Então, quando você compra uma pulseira artesanal, por exemplo, pode ter certeza de que ninguém no mundo tem um produto idêntico ao seu. E imagine um colar feito com sementes. Mesmo que vários exemplares sejam fabricados com o material da mesma árvore, é impossível que eles sejam completamente iguais;
  • Dificuldade para conseguir a matéria-prima: produtos fabricados com matéria-prima da Amazônia tendem a ser mais valorizados, devido à distância e os problemas que a geografia do local representa para aqueles que tentam consegui-la.
  • Criatividade: Além da procedência do material, não há como não falar da importância da criatividade. Afinal, esse tipo de joia é uma forma de arte e, das mãos das pessoas certas, podem nascer exemplares belíssimo.Colar de ouro com jaspe - site Ceci Joias da Amazônia

Entenda a importância das biojoias e ecojoias para compor um look

As biojoias e ecojoias foram, muitas vezes, usadas como talismãs e amuletos por diversas culturas e seus significados eram variados, como vimos neste texto. Apesar de nos dias de hoje muitas pessoas ainda considerarem o lado místico desses acessórios, eles também têm outro importante papel na cultura moderna: transmitir personalidade. Isso é fundamental em uma época em que o processo de globalização acaba tirando um pouco da individualidade de cada um. Afinal, muitas coisas são consumidas em massa.

Algo que se torna destaque nas passarelas ou que foi usado por alguém famoso rapidamente é noticiado no mundo inteiro, podendo se tornar uma verdadeira tendência. Isso faz com que, em um curto espaço de tempo, várias pessoas estejam usando a mesma coisa e replicando exatamente o que está na moda.

Felizmente os acessórios são muito versáteis e têm a extraordinária capacidade de estabelecer uma comunicação não verbal. Afinal, é possível identificar traços da personalidade de alguém apenas observando os acessórios que ela usa. Não importa se você deseja transmitir delicadeza, simplicidade ou extravagância, é possível encontrar as biojoias ideais para passar qualquer mensagem. 

Aumento da autoestima

Além disso, esse tipo de produto faz com que a mulher se sinta mais bonita com pequenos incrementos no seu visual, o que é capaz de aumentar sua autoestima e bem-estar. Também é possível usá-los para chamar mais atenção para determinada parte do corpo ou apenas para destacar outro elemento do seu look.

De forma geral, esses acessórios têm o poder de promover uma mudança completa em seu visual e deixá-la preparada para todo tipo de evento. Até a roupa mais básica pode ganhar ares de elegância quando combinada com as ecojoias certas.

Dicas de uso para cada tipo de biojoias e ecojoias e suas exclusividades

Embora o uso de biojoias e ecojoias precise estar alinhado com o gosto e a personalidade de cada um, fazer a combinação correta não é tão simples quanto parece.

Afinal, usar aleatoriamente os itens que são mais bonitos e que combinam com o seu perfil pode não ser uma boa ideia. O uso desses elementos sem seguir nenhum critério geralmente traz um resultado distante do esperado, em que a informação que se deseja passar acaba ficando confusa.

É importante que todo o seu look faça sentido e que as diferentes peças alcancem algum nível de harmonia entre si. Uma dica geral para alcançar o visual dos sonhos é não exagerar. Até mesmo se você tem o estilo criativo e dramático, em que é comum o uso de diversos acessórios, o indicado é exagerar apenas em uma região do corpo. Dessa forma, você transmite sua personalidade sem correr o risco de se transformar em um personagem caricato.

Tudo depende da ocasião

Além disso, a ocasião diz muito sobre o look a ser escolhido e saber filtrar as diferentes situações é um ponto-chave para estar sempre elegante e se sentindo bem. Por exemplo, o local de trabalho pede itens menores e mais discretos, que sirvam para realçar o visual sem chamar tanta atenção.

Mas se for para uma festa, peças maiores e até um pouco extravagantes podem fazer parte do look sem qualquer problema. Assim, é ideal que você tenha muitas opções, de diversas cores, modelos e tamanhos, a fim de que seja possível compor o visual perfeito, seja para uma simples ida à padaria ou para um evento extremamente formal.

Entretanto, se você ainda está em dúvida sobre a melhor forma de usar diversos acessórios, confira as dicas abaixo.

Anéis como opção de biojoias

Há muitas pessoas que são apaixonadas por esse tipo de biojoias e a boa notícia é que você não precisa escolher apenas um anel. É possível usar vários de uma só vez sem perder a elegância e sofisticação.

Depois de entender o que é mais adequado para o ambiente ou evento para o qual você está indo, não hesite em fazer uma bela combinação de anéis. Mas uma dica importante é escolher um item que será o destaque e complementar o visual com outros menores e que façam uma boa combinação.

Porém, se você não deseja chamar atenção para as suas mãos, a dica é escolher apenas 1 ou dois anéis menores. 

Colares

Os colares estão disponíveis em várias cores, modelos e tamanhos e ajudam a compor o look, trazendo mais elegância e sofisticação.

Assim como em outros itens, o evento do qual irá participar conta muito na hora de escolher as peças. Por exemplo, um encontro formal para tratar de negócios pede opções mais minimalistas, que sejam mais finas e discretas.

Já os eventos sociais em que a formalidade não for exigida são o lugar perfeito para abusar de modelos mais extravagantes, compostos por itens de maior espessura e que chamam a atenção.

As mulheres mais baixas e que não desejam destacar essa característica devem usar colares maiores com cuidado, pois eles podem dar a impressão de que elas são ainda menores.

Pulseiras são ótimas opções de biojoias

As dicas para o uso dessas biojoias são similares às dos anéis. Ou seja, você pode combinar várias pulseiras, de diferentes tamanhos e formatos e fabricadas de vários materiais naturais. Entretanto, se você tem um estilo mais discreto, use pulseiras em menor quantidade.

O importante é não desconsiderar esse item na hora de montar o look, pois ele tem o poder de trazer beleza, charme e elegância.

Sempre respeite seu gosto e sua personalidade, mas lembre-se de não usar pulseiras com adornos que façam muito barulho se estiver em locais em que elas podem incomodar os outros, como no trabalho, na igreja ou na faculdade. Os itens mais barulhentos devem ser guardados para festas com música alta ou qualquer outro evento em que o barulho produzido por elas vai passar despercebido.

Brincos

Não podemos finalizar essa lista sem falar dos brincos, já que eles são os acessórios preferidos das mulheres e estão presentes em quase todas as composições de looks.

Felizmente a natureza oferece muitos materiais para a confecção desses itens e é possível encontrar uma variedade incrível. Os modelos mais extravagantes são interessantes para festas e outros eventos sociais menos formais. Mas no ambiente de trabalho ou se você quiser ser mais discreta, dê preferência aos modelos menores.

Vale a pena comprar uma biojoia?

Sim. As biojoias são artigos extraordinários, cheios de beleza e outros encantos. Ao adquirir uma delas, você terá a certeza de estar comprando um produto que foi desenvolvido pensando na preservação ambiental.

Além disso, muitas pessoas valorizam o fato de terem peças únicas, que são escolhidas a dedo. Pois é necessária uma busca cuidadosa para encontrar joias que, além de lindas, combinem com a sua personalidade.

Biojoias: amigas do meio ambiente

Conforme já citamos neste artigo, as biojoias são verdadeiras amigas da natureza, contribuindo cada vez mais para uma moda sustentável. Isso porque esse tipo de semijoia considera os princípios da preservação do meio ambiente ao adquirir boa parcela da matéria-prima por meios menos nocivos.

Assim, é possível respeitar todo o ecossistema envolvido, valorizando as atividades extrativistas que sustentam os povos da floresta. 

Antigamente, o mercado de joias focava apenas na expansão dos negócios e seus lucros, sem levar em conta o impacto ecológico e o desenvolvimento social. 

Entretanto, o conceito de semijoias finas artesanais revolucionou toda a cadeia de produção, permitindo o reconhecimento de criações de alta qualidade e exclusividade e, paralelamente, o equilíbrio das ações humanas na natureza.Colar de biojoias com pedras de turquesa - site Ceci Joias da Amazônia

Do Brasil para o mundo, as biojoias encantam com suas riquezas naturais únicas

As biojoias com sua beleza rara ultrapassaram barreiras e conquistaram o mercado internacional de vez. No segmento de biodesign, os processos de criação desse artigo de luxo da natureza vêm se aperfeiçoando ao longo do tempo, tanto no emprego de matérias-primas mais valiosas quanto nas técnicas de extrativismo e posterior tratamento das peças.

Esses avanços são impulsionados por uma mão de obra mais qualificada ou especialistas que capacitam os artesãos, para que o produto final ganhe mais qualidade e acabamentos incríveis. Entre os parâmetros de qualidade e segurança adotados, podemos citar os cuidados utilizados para eliminar a presença de fungos, por exemplo. 

Também é importante ressaltar que os acessórios deixaram de ser apenas confeccionados com fibras, sementes e madeiras. Com o mercado exigente mundo afora, as pedras preciosas passaram a ser incorporadas nas produções exclusivas e autênticas.

A Amazônia bem pertinho de você

Com a atenção de todo o planeta voltada para a Amazônia e as políticas de preservação, devemos ter consciência ecológica e buscar sempre a qualificação, a inovação e a valorização das tradições das comunidades locais. 

Portanto, carregar um colar de pedras naturais ou uma pulseira artesanal com essa procedência, por exemplo, é mais do que uma tendência da moda; você leva a história dos povos da floresta, seus significados e valores culturais aonde quer que vá.

Aprenda a verificar o status de qualidade da semijoia feita à mão

Ao adquirir uma semijoia feita à mão, independentemente da espécie, é essencial avaliá-la como um todo, incluindo seus componentes e acabamentos. Afinal, cada detalhe é importante, para identificar se sua joia atende ao padrão de qualidade.

Por isso, separamos alguns itens que precisam ser analisados rigorosamente. Veja a seguir.

Brilho e qualidade

Um dos principais quesitos que deve ser avaliado nas semijoias finas é o processo de galvanoplastia ou folheamento, que determinará a intensidade do brilho e a sua qualidade. Se o item recebeu um banho de ouro ou de prata, há escalas de qualidade que devem ser consideradas. 

Um brinco de ouro, por exemplo, deve apresentar, no mínimo, 4 milésimos de espessura do metal nobre, para que possa ser classificado dentro dos altos padrões. As peças da Ceci possuem 10 milésimos de camadas de ouro, o que já é considerado superior a uma semijoias e já pode receber o status de joias. Por isso, certifique-se sobre as camadas do metal com a loja ou o fornecedor antes de efetivar a compra.

Origem das pedras preciosas e pérolas das biojoias

Os materiais que compõem as biojoias são variados. Entre eles, as pedras preciosas e as pérolas são os itens mais clássicos e sofisticados. No entanto, sabemos que existem muitas peças falsificadas no mercado.

Portanto, busque informações referentes à procedência da sua nova aquisição, seja um colar de pedras naturais ou brincos femininos de pérolas. Os adereços não podem riscar facilmente nem apresentar outros defeitos. Por isso, confira sua origem e estado de conservação.

Bom acabamento

Outro fator importante é o acabamento. Não aceite rebarbas e defeitos. Contudo, essa conferência pode ser mais minuciosa, dependendo do seu investimento.

Primeiramente, observe qual é o metal de base. Nesse aspecto, consuma peças que foram submetidas ao processamento de alta fusão ou produzidas por liga de latão, que asseguram maior resistência, melhor aderência do metal precioso e polimento caprichado. Ou seja, se for metal de baixa fusão, não compre.

Vale recordar que os metais de base estão presentes em maior volume e os mais comuns são o bronze ou latão. O metal isolante é o secundário, como níquel e paládio. A prata também pode ser usada em uma camada intermediária. O ouro 18k, por exemplo, tem em sua liga vários metais, sempre na proporção de 25%, que determinarão sua dureza, cor e resistência à oxidação.

Ainda é crucial prestar atenção aos fechos, argolas, correntes, pinos e às soldas. Se esses componentes apresentarem avarias, provavelmente, o fabricante usou materiais inferiores.

Garantia

Por último, adquira uma joia que tenha certificado de garantia, para atestar sua legitimidade. Além do mais, esse documento garante trocas, consertos de peças defeituosas ou até mesmo a devolução do valor, que deve ser sempre compatível.Colar com detalhes em madeira - site Ceci Joias da Amazônia

Prolongue a vida útil das biojoias e eternize suas memórias

As biojoias têm significados especiais e memórias afetivas. Por isso, adote estes cuidados, para aumentar sua durabilidade:

1. Guarde-as em locais bem arejados, limpos e secos, como caixinhas ou saquinhos de veludo.

2. Evite o contato com produtos químicos, de limpeza, perfumes, cosméticos, desodorantes, óleos e tinturas de cabelo.

3. Mantenha seu colar feminino e outros longe do calor e da umidade.

4. Remova-as ao desempenhar trabalhos manuais, como jardinagem ou serviços domésticos, visando evitar riscos e outros prejuízos.

5. Não entre no mar, no banho, na piscina e na sauna com seus adereços. A salinidade do mar, o cloro da piscina e outros agentes podem provocar danos irreversíveis a eles.

6. Dispense o uso de água fervente, pasta de dente ou qualquer produto abrasivo, para limpar ou polir sua semijoia.

7. Higienize-as somente com uma flanela macia de algodão.

As biojoias perfeitas

As biojoias são ideais para quem busca versatilidade, sofisticação e delicadeza devido aos seus variados elementos naturais. Os brincos pequenos, por exemplo, ficam bem em qualquer rosto, principalmente, em quem não tem o formato tão afinado.

Outra dica importante é equilibrar o rosto com o tamanho do pescoço. Em um pescoço mais curto, deve-se priorizar os brincos menores.

Agora, se você quer dar um brilho especial para seu look noturno, é só apostar nas pedras preciosas mais minimalistas. Para obter um destaque sutil, a sugestão é prender o cabelo.

Já os colares mais leves e finos combinam com qualquer biotipo. Além disso, o mix de colares delicados foge do óbvio e consegue deixar a produção mais discreta.

Por fim, o mix de pulseiras delicadas ajuda a equilibrar as proporções do quadril e é elegante.

Desperte sua essência: 6 motivos para investir nas biojoias da Ceci

Afinal, por que você deveria aderir à tendência das biojoias? Neste artigo, a Ceci Joias reuniu seis razões convincentes para você adquirir joias artesanais, seja um colar, um brinco ou uma pulseira, especialmente aquelas que são confeccionadas com riquezas da Amazônia. 

Na busca pela autenticidade, cada pessoa anseia por se envolver com algo que verdadeiramente a abrace, refletindo sua singularidade. Por isso, os acessórios que escolhemos são a voz silenciosa de nossa personalidade. 

Em um universo onde a estética se entrelaça com qualidade, cuidado e sustentabilidade, descubra seis motivos apaixonantes para apostar nas joias feitas à mão da Ceci.

1. A alma da criação: o valor artístico em cada peça

Cada joia feita à mão é um testemunho de energia, tempo, amor e dedicação. Longe de ser apenas um processo manual, é uma jornada pessoal dedicada a cada cliente. Ao escolher uma dessas peças, você não apenas adquire um adorno, mas contribui ativamente para a valorização do talento local.

As semijoias finas não são só ornamentos; são portadoras de ideias que transcendem, representando culturas e tradições sob um olhar criativo e cheio de inspiração e expressividade. 

2. Estilo sob medida: a liberdade da personalização

Em um mundo dominado pela produção em massa, a compra de produtos em larga escala pode parecer impessoal. Contudo, a beleza genuína encontra-se em nadar contra essa correnteza, e é aí que o artesanal prevalece.

Com joias artesanais, você não está limitado a escolhas pré-moldadas. Nesse universo, a personalização é a regra, não a exceção entre as coleções. Assim, é possível fazer escolhas que se relacionam aos estilos que realmente refletem sua personalidade. 

Portanto, investir em joias personalizadas é mais do que uma decisão, é uma declaração da própria identidade.

Gargantilha de biojóas - site Ceci joias.

3. “Ecoluxo”: biojoias que recriam a beleza da natureza

A voracidade da superprodução consome, de maneira antiética, os preciosos recursos naturais, contribuindo para o desmatamento e outras crises ecológicas, diferentemente do que ocorre no mercado das biojoias. No reino artesanal, impera a procedência dos materiais. Por isso, os artistas priorizam a qualidade em detrimento da quantidade. 

Em outras palavras, as joias feitas à mão são a resposta sustentável, oferecendo aos consumidores uma alternativa mais consciente, que preserva a beleza do produto sem comprometer o planeta. 

Esse processo simboliza a expressão concreta de responsabilidade ambiental na moda, inspirando e incentivando o cuidado com o ecossistema a cada peça inventada. 

4. Empoderando talentos locais: a joia de um novo modelo econômico

Ao investir em uma joia artesanal, você não está apenas adquirindo um acessório, mas também impulsionando diretamente os artistas locais, injetando vitalidade no comércio regional.

No entanto, essa contribuição transcende o aspecto monetário. Ao apoiar um artista apaixonado, além de fomentar a cadeia produtiva, você desencadeia uma revolução criativa. Dessa maneira, é possível abrir portas para mentes inovadoras se expressarem livremente, moldando um mercado onde a criatividade é a moeda mais valiosa.

Além disso, sua escolha não somente ajuda a estabelecer um vínculo econômico, mas também serve como um trampolim, para que artistas explorem e ampliem suas habilidades por meio de projetos audaciosos. 

5. De heranças preciosas a memórias eternizadas: o legado das biojoias

Apostar em biojoias vai além da simples aquisição de uma peça; é adentrar na fascinante narrativa por trás de cada criação. Cada joia exclusiva vai além de uma expressão singular de estilo, significa uma manifestação tangível de memórias preciosas, tecendo uma história que se pode compartilhar com as gerações vindouras.

Ao considerar a singularidade dessas semijoias finas ou exóticas, torna-se claro que cada uma delas é uma obra-prima, mesmo que seja inspirada em um determinado estilo. 

Sendo assim, em um mundo onde a homogeneidade é muitas vezes a norma, a beleza reside na certeza de que duas peças nunca serão idênticas, criando um encanto irresistível para aqueles que apreciam a verdadeira individualidade.

6. A magia dos detalhes: o cuidado artesanal nas joias exclusivas

Em tempos em que a produção em massa predomina, as joias artesanais destacam-se como verdadeiras obras de arte, desprovidas da intervenção impessoal de máquinas. Pois cada peça é meticulosamente esculpida, ultrapassando sua mera fabricação.

A importância disso reside na celebração da atenção aos detalhes. As semijoias finas feitas à mão, por exemplo, são habilmente elaboradas, resultando em uma menor probabilidade de falhas e imperfeições. 

Esse comprometimento com a perfeição artesanal não apenas eleva a qualidade das peças, mas também ressalta a distinta e valiosa singularidade que somente o trabalho manual pode oferecer. 

Sobretudo, a variedade de insumos associada à criatividade permite a confecção de infinitas coleções, que podem incluir brincos femininos, um colar de pedras naturais, uma pulseira de olho de tigre e por aí vai.

Explorando a elegância: mix de folheados e biojoias para um estilo único

Desperte a sua ousadia fashion com a pergunta intrigante: “Posso fazer um mix de folheados com biojoias?” A resposta é sim. Nossa proposta é simples: adicione um toque de mistério ao seu estilo a partir da combinação magistral de folheados e biojoias.

Comece desafiando a monotonia e não se limite a um único material, atreva-se e explore a sinergia de diferentes texturas e elementos naturais, como pedras, gemas e até madeira. O resultado? Um visual repleto de personalidade e harmonia.

Portanto, experimente a fusão de acessórios naturais com o brilho sutil do dourado, como um brinco de ouro de turmalina ou um colar folheado a ouro de rubis, e surpreenda-se com um efeito incrível.

Colar com madeira e pedras preciosas - site Ceci joias.

Biojoias: um tributo à riqueza cultural e à moda sustentável na Amazônia

As biojoias não apenas adornam, mas são uma celebração das riquezas naturais e culturais do Brasil. Ao utilizar certas matérias-primas, como madeiras, frutos, sementes e pedras naturais, essas joias ganham notoriedade diante da diversidade de cores, texturas e belezas encontradas no País.

Além de valorizar a cultura local, esse tipo de acessório tem desempenhado um papel crucial na popularização da moda sustentável. Pois alguns materiais, como semente de açaí, jarina e buriti, inicialmente relacionados às regiões tropicais brasileiras, agora conquistaram espaço no cenário global de semijoias finas. Esse fenômeno, então, coopera para a geração de renda em comunidades locais, beneficiando coletores e artesãos.

Sobretudo, a inclusão de pedras naturais nas peças adiciona uma camada de sofisticação e autenticidade, proporcionando uma conexão direta com a natureza e agregando ao valor estético histórias enriquecedoras.

Vale ainda frisar que a ascensão desses acessórios representa um papel vital na valorização das tradições indígenas. Desse modo, essas joias são elos capazes de recuperar e celebrar práticas ancestrais. 

Então, para quem busca autenticidade e brasilidade, explorar a diversidade dessas peças é um convite para mergulhar nas riquezas da Amazônia e apoiar práticas sustentáveis que transcendem fronteiras.

1Comentário

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

plugins premium WordPress